Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

GADGET MAN

Tecnologia para pessoas...

GADGET MAN

Tecnologia para pessoas...

Hyundai vai substituir os seus manuais do usuário por realidade aumentada

05.01.16 | Pedro D.

Se és o tipo de pessoa que nunca lê os manuais dos carros que compra, a última idéia Hyundai vai agradar-te.

 

0104_hyundai-1-640x288.jpg

 

 

A Hyundai, um grande fabricante de automóveis tem a intenção de fazer-te esquecer o manual do usuário empoleirado no porta-luvas. A marca coreana vai colocar na sua aplicação Car Care uma realidade aumentada de um guia virtual: basta colocar o telefone dentro do carro para ver explicações aparecem na tela e até mesmo clipes de vídeo. 

 
A aplicação será inicialmente updatée para modelos Sonata 2016, mas o resto dos veículos da marca vai ser capaz de desfrutar em 2017.

Nova Iorque substitui cabines telefónicas por pontos wi-fi

05.01.16 | Pedro D.

1023007.jpg

 

 

As cabines telefónicas são cada vez menos e pouco usadas muito por causa dos telemóveis. Assim, cerca de 500 cabines em Nova Iorque vão ser substituídas por pontos de serviço wi-fi gratuito até Julho deste ano, sendo que a previsão é que até 7500 unidades venham a ser retiradas em troca de ligação à web sem fios.

 

Cada ponto de wi-fi terá um ecrã electrónico em cada um dos lados para aí serem exibidos anúncios publicitários. Cada painel terá ainda um tablet onde o utilizador pode procurar informação sobre a cidade norte-americana ou navegar pela Internet, caso não disponha de um dispositivo com acesso online.

 

O projecto chama-se LinkNYC e está a ser gerido pela CityBridge, uma join-venture que junta três empresas de tecnologia – Qualcomm, CIVIQ Smartscapes e Intersection -, que estima o processo de substituição e criação dos pontos de wi-fi em mais de 200 milhões de dólares.

 

A CityBridge espera obter valores elevados com o projecto com a publicidade que poderá ser exibida nos pontos wi-fi, sendo que durante o contrato de um ano terá que pagar à cidade de Nova Iorque 500 milhões de dólares ou 50% dos lucros, consoante o valor seja mais alto. Para já, a empresa confirma que já tem vários contratos publicitários firmados, mas recusa-se a identificar os seus clientes.

 

via: Wall Street Journal