Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

GADGET MAN

Tecnologia para pessoas...

GADGET MAN

Tecnologia para pessoas...

Beyond the Lab a exposição tecnológica que ajuda pessoas

beyond lab.jpg

 

Esta em exibição até 26 de Março no Pavilhão do Conhecimento, a exposição Beyond the Lab  que mostra vários projectos destinados a melhorar a vida das pessoas, e onde estão dois projectos nacionais: o de bolsos térmicos e o de uma mão impressa em 3D.

 

Mão impressa em 3D 

Em 2015 a equipa do Patient Innovation team imprimiu uma mão em 3D para um menino português de sete anos que nasceu sem ante-braço e mão. A equipa trabalhou em parceria com Ivan Owen, um artista Americano que desenha próteses em 3D para crianças e adultos, cujos ficheiros partilha de forma gratuita na internet, permitindo que mais pessoas por todo o mundo tenham acesso a estas próteses low cost. A mão 3D foi impressa na Católica Lisbon.

Bolsos térmicos

Diogo Lopes sofre de Charcot-Marie-Tooth, uma condição neurológica que origina variações rápidas da temperatura das mãos e dos pés. Então explicou esta situação ao Patient Innovation, que o pôs em contacto com alunos do JUNITEC, do Instituto Superior Técnico de Lisboa, que desenvolveram bolsos térmicos portáteis para ajudar o Diogo a manter as mãos quentes.

 

A exposição pretende explicar o papel dos cidadãos como investigadores e inovadores, mas sempre com um papel social, vai percorrer um total de 29 países europeus. A entrada é gratuita e gratificante...

 

A tecnologia por detrás dos tênis da Nike que se atam sozinhos

hyperadapt.jpg

 

Lembra-se dos ténis que apareciam no "Regresso ao Futuro II"!? Já é possivel ter uns ténis que se atam sozinhos como no filme. Mas sabe como é que funciona? Pois é, os tipos da Mindtribe, uma empresa de engenharia de São Francisco, também não. A diferença é que eles podem-se dar ao luxo de destruir uns ténis de 700 dólares - o HyperAdapt, da Nike - e descobrir o misterioso sistema por trás da tecnologia.

 

A equipe da MindTribe decidiu investigar o que estava por trás do sistema de aperto automático compacto do HyperAdapt e, observando as peças internas do calçado, chegaram a algumas conclusões que podem apontar o que vem pela frente nesse tipo de tecnologia. Uma das peças, por exemplo, era um “conector periférico, que tem vários pinos desocupados e até um cabeçalho de três pinos saindo dele, sem nada conectado na outra ponta”. A sugestão da empresa de engenharia é que isso poderia ser indício de um sistema modular com periféricos ainda por vir.

 

A inspeção da MindTribe encontrou ainda um processador móvel ARM Cortex M4, usado principalmente em microcontroladores. A presença deste circuito integrado também pode apontar para algum complemento da tecnologia, já que é um tanto potente para um “simples” tênis que se atam sozinhos.

 

Umas luzes LED indicam quando eles precisam ser recarregados. Cada recarga, segundo a Nike, leva por volta de três horas, e a autonomia é de cerca de duas semanas. Para fazer a recarga, basta colocar um suporte magnético parecido com os dos smartwatchs.

 

via: techcrunch

Brick Burguer, o restaurante onde se come um hambúrguer em forma de LEGO

transferir (1).jpg

 

Abriu há cerca de seis meses um restaurante que pretende juntar o melhor de dois mundos: hamburger e LEGO. Idealizado por Jergs Correa, o Brick Burger funciona como uma espécie de homenagem a todos os amantes da marca de brinquedos.

 

São o primeiro restaurante temático da LEGO no mundo inteiro que serve pão de hamburger em forma de tijolo e que parece uma peça da LEGO.

 

Das 10 variedades de hambúrgueres servidas no Brick Burger, todas elas têm a particularidade de serem servidas num pão em forma de tijolo e que está disponível em quatro cores diferentes: vermelho, cor de laranja, amarelo e preto.

 

Será excusado dizer, que o restaurante é um sucesso...

Medalhas Olimpícas de Tóquio serão feitas com material reciclado de smartphones

medalha.jpg

 

A reciclagem de celulares descartados é um tema de grande importância em um mundo que se preocupa com as mudanças climáticas que estão acontecendo no planeta. Tanto que a Apple até criou um robô (o Liam) para desmontar os smartphones da marca e separar todos os seus componentes.

 

 

E como alguns dos componentes dos smartphones usam ouro, prata e bronze, o comitê olímpico japonês resolveu aproveitar isso para fabricar as suas medalhas com material reciclado.

 

Desde o início que o Japão se preocupa em realizar umas olímpiadas diferentes em 2020. Agora, segundo o The Japan Times, o governo está a pedir que cidadãos deêm os seus telemóveis velhos, para que se possa usar o material na confecção das medalhas que serão atribuídas aos atletas. O projeto foi divulgado ainda em julho do ano passado, mas só agora se tornou real. 

Será a primeira vez que as peças serão feitas com material 100% reciclado. Nas olimpíadas do Rio, foi usado 30% de material  reciclado. Além de ser uma ótima mensagem ecológica, para o Japão é economicamente excelente. 

 

Mas a tarefa não será fácil: para fundir as 5.000 medalhas previstas, serão necessários milhões de telemóveis. Por isso, o comitê olímpico fez parceria com a NTT Docomo (a maior operadora do país) e o Centro de Saneamento Ambiental do Japão para ajudar na colecta.

 

via: The Japan Times

Galaxy S8 vai ser apresentado em Março

galaxy s8.jpg

 

Ainda não se sabe se a Samsung vai utilizar o palco do Mobile World Congress, para apresentar o novo Galaxy S8 como diz o site da marca, se vai atrasar a apresentação para Março como afirma o Wall Street Journal. 

 

Sobre a data de apresentação, a fonte do WSJ afirma que o novo smartphone será mostrado num evento em Nova Iorque no final do próximo mês de março. Outros rumores indicavam que o dispositivo será apresentado a 29 de março e lançado no mercado a 21 de abril.

 

Entre rumores e notícias mais ou menos fidedignas, a Samsung deverá mesmo apresentar o Galaxy S8 com ecrãs curvos, a tradicional versão “Edge”, ainda que com dois tamanhos diferentes: uma versão com ecrã de 5,8 polegadas que deverá ter uma bateria com 3.000 mAh e a uma versão de 6,2 polegadas uma bateria com 3.500 mAh.

 

Este  novo smartphone deverá trazer um assistente pessoal de nome Bixby, que vai ter funcionalidades que nenhum dos concorrentes tem: será capaz de conversar em 6 ou 7 línguas (provavelmente Inglês; Castelhano; Francês; Alemão; Italiano; Coreano e Português); tira fotografias a um objecto e faz uma pesquisa sobre ele na internet ou procurar uma loja online que o venda.

 

Espero para ver...

 

via: tecmundo

Aplicação de rastreamento de ciclos mentruais aprovada como método anticoncepcional na Europa

natural-cycles-app-contraception-3.jpg

 

A Natural Cycles é uma aplicação para smartphone que é a primeira app de fertilidade a ser aprovado como um contraceptivo na Europa. A sua marcação CE da classe IIb significa que cumpriu os requisitos de segurança, saúde e eficácia na mesma categoria de risco que o preservativo.

 

A aplicação baseia-se em métodos naturais de planeamento familiar que já existiam antes das aplicações dos smartphones, mas a Natural Cycles moderniza esses métodos de rastreamento combinando leituras de um termômetro basal com um algoritmo que contabiliza a irregularidades no ciclo e taxas de sobrevivência de esperma. Assim são apresentados quais dias que a usuária não é fértil e que dias ela deve usar proteção.

 

Um estudo de 317 mulheres mostrou que o algoritmo Ciclos Naturais foi capaz de identificar a ovulação com quase-ultra-som nível de precisão. Outro estudo, que foi realizado em mais de 4.000 mulheres, mostrou que uma média de sete mulheres em cada 100 ficou grávida em um ano quando usando Ciclos Naturais como um método de controle de natalidade. Ambos os estudos foram publicados no European Journal of Contraception & Reproductive Health Care.

 

O Natural Cycles está disponível no iOS e no Android. É um serviço baseado em assinatura que começa em 9,90 dólares por mês, ou 5,80 dólares por mês para um plano anual com um termômetro incluído.

 

A mim parece-me estranho, mas se resulta, porque não!!!

 

via: : Natural Cycles

As dez aplicações Android que mais recursos consomem

android.jpg

O diário espanhol El País fez uma lista com as dez aplicações que mais consomem os recursos dos dispositivos Android.

 

Das dez posições, o Snapchat e o Spotify encabeçam a lista, seguidas pelo Tinder (em sexto lugar) e pelo Clean Master (em oitavo) — a aplicação para limpar a memória de dispositivos Android corre em segundo plano e aumenta o consumo da bateria. Quatro das aplicações são ocupadas por aplicações do Facebook. A lista, feita com base num estudo da Avast!, pode ajudar a perceber porque é que a bateria do telemóvel dura tão pouco ou porque é que o plano de dados móveis se esgota tão rapidamente. 

 

As app que têm notificações, são as que mais recursos consomem: ver lista

 

via: el país

 
 

 

Vale a pena investir em uma câmera 360 graus?

samsung-360.jpg

As câmeras 360 graus estão cada vez mais populares, principalmente com mais opções para compartilhar as imagens em redes sociais. Os aparelhos registram fotos e vídeos de todas as direções ao mesmo tempo, oferecendo uma sensação de imersão no resultado. 

 

Mas, antes de investir num modelo 360º é importante analisar os prós e os contras da tecnologia e verificar se vale a pena comprar uma 360º. Apesar da curiosidade pelo novo modelo de câmera, o preço ainda é alto e ainda há poucas fabricantes, entre as mais conhecidas, a venderem opções panorâmicas.

 

Prós

1 – Imagens de alta qualidade

A maioria das câmeras 360 graus grava em 4K. Além de gerar um vídeo ou uma foto mais nítida, com captura de detalhes, as configurações também permitem ressaltar a sensação de imersão ao ver  o resultado de um vídeo em um dispositivo de realidade virtual, por exemplo. 

 

2 – Lentes grande angular

Para garantir um maior campo de visão durante fotos e gravações, as câmeras 360º dispensam as lentes convencionais utilizadas em aparelhos DSLR com modo panorâmico, por exemplo. Assim, os modelos têm lentes grande angular, parecidas com as oferecidas nas câmaras de acção, para um resultado diferente e melhor.

 

3 – Dispositivos VR compatíveis

No caso de vídeos, a melhor opção para conferir o resultado da gravação em uma câmera 360º é um dispositivo de realidade virtual. Apesar de ser um acessório extra, o ponto é positivo pois já existem no Brasil diversos gadgets com a tecnologia.

 

4 – Recordação diferente

Já imaginou gravar cada detalhe de uma cidade ou país que visitou nas férias sem montar um tradicional álbum de fotos?  As câmeras com gravação panorâmica fazem imagens diferentes e são recordações divertidas. É possível, por exemplo, fazer uma única foto no Cristo Rei e mostrar todos os detalhes da cidade em volta.

 

Contras

1 – Design

Não importa qual a fabricante da câmera 360º, a maioria dos dispositivos não oferece um design prático. Diferente de action cams como a GoPro ou a TomTom Bandit, os modelos não podem sem considerados “de bolso” e funcionam melhor com a ajuda de tripés acoplados na estrutura, o que inclui um acessório a mais no equipamento. Normalmente, os dispositivos são redondos com mais de uma lente, o que impede o usuário de segurar da mesma forma que outros aparelhos.

 

2 – Uso específico / Poucos modelos /  Preço

Como o nome da categoria já diz, as câmeras 360 graus são feitas para filmar e fotografar neste modo. Mesmo que algumas ofereçam configurações para time lapse ou slow motion, os aparelhos não são indicados para fotografar uma viagem de forma tradicional.

 

Apesar da curiosidade do público com as câmeras 360º, os principais fabricantes parecem ainda não se ter interessado pela tecnologia no mercado nacional. Como há poucos modelos lançados no mercado, ou seja, pouca concorrência, os preços das câmeras 360º ainda são altos.

Tradutor que se coloca no ouvido e faz uma “tradução em tempo real”

Pilot.jpg

 

Esta novidade foi criada por uma start-up de Nova Iorque, chama-se Pilot e foi criada para acabar com as barreiras linguísticas no mundo. Este acessório incorpora tecnologia já existente, é verdade, mas contorna a utilização do smartphone. O Pilot coloca-se no ouvido e faz uma “tradução em tempo real”.

 

Um dia o mundo poderá estar unido pela mesma plataforma linguística? Parece que se deu mais um passo!

 

 

O projecto já juntou 4,4 milhões de dólares no Indiegogo. Espera-se, que no dia 27 de fevereiro, em Barcelona, já se possa usar um produto final e operacional. Será colocada à venda já no próximo mês de maio. O preço, segundo os seus responsáveis, rondará os 299 dólares (cerca de 277 euros).